Foi entronizada hoje na Praça Memorial Vladimir Herzog, ao lado da Câmara Municipal de São Paulo, a réplica do troféu Prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos. A atividade teve a adesão de várias entidades ligadas aos jornalistas e ao exercício da profissão – entre elas a Associação Profissão Jornalista – e marcou também a celebração do Dia do Jornalista (7 de abril).

Entregue desde 1979, o prêmio é concedido anualmente a profissionais e veículos de comunicação que se destacaram na defesa da democracia, da cidadania e dos direitos humanos e sociais. Seu nome é uma homenagem ao jornalista Vladimir Herzog, morto sob tortura pela ditadura militar, em 1975.

A Praça Memorial Vladimir Herzog foi inaugurada em 2013 e desde então vem se constituindo em um espaço de reafirmação da liberdade de expressão e dos direitos humanos. O local já conta com a escultura Vlado Vitorioso e um mosaico feito por crianças do Projeto Âncora reproduzindo a obra 25 de Outubro (uma representação da tortura com a data da morte de Herzog). Todas de autoria do artista plástico Elifas Andreato.

“A praça é mais que um local de memória, é um local de resistência”, comentou Ivo Herzog, diretor do Instituto Vladimir Herzog e filho do jornalista assassinado. Diversos jornalistas e estudantes participaram da cerimônia, que contou com apresentações do coral da Guarda Civil Metropolitana de São Paulo.

0
0
0
s2smodern