A reconfiguração de fronteiras físicas e simbólicas na atualidade têm produzido novos agrupamentos econômicos, sociais e de poder. É o caso do chamado grupo dos BRICS, bloco composto por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. O que era uma denominação econômica, a partir da perspectiva dos países envolvidos, transformou-se e adquiriu outra configuração, criando um espaço geopolítico que detém cerca de 21% do PIB mundial, 42% da população e índices de crescimento superiores à média internacional.

Os países que fazem parte dos BRICS comungam semelhanças e diferenças, tanto do ponto de vista social e cultural quanto dos sistemas econômicos e políticos. As configurações dos seus sistemas midiáticos fazem parte desta diversidade. Tomá-las de forma comparativa pode oferecer perspectivas mais promissoras para a análise crítica dos sistemas do que levá-las em conta separadamente. Reflexões sobre os BRICS também podem contribuir para iluminar diferentes formas de entender, fazer e pensar o Jornalismo nas sociedades contemporâneas.

No bloco dos BRICS ganha especial relevo a relação entre Jornalismo e Democracia, assim como o papel do jornalista frente aos Estados nacionais, as condições de prática profissional e a formação para esta práxis, bem como análises que pensem o fazer jornalístico deslocado apenas de uma perspectiva eurocêntrica.

Para sistematizar discussões e conceitos sobre o Jornalismo neste contexto, a Brazilian Journalism Research convidou os pesquisadores a participarem do Dossiê “Jornalismo e BRICS”, que recebeu artigos que contemplem diversidade de abordagens teóricas, epistemológicas, metodológicas e empíricas da investigação em Jornalismo realizadas nos países membros do bloco, comparativas ou não.

Estiveram à frente deste dossiê os editores convidados Kaarle Nordenstreng (Universidade de Tampere, Finlândia), Raquel Paiva (UFRJ) e Fernando Oliveira Paulino (UnB), integrantes da pesquisa Media Systems in the Flux: the Challenge of the BRICS Countries – Project 2012-2016. A edição também conta com a participação de Sonia Virginia Moreira (UERJ) como editora executiva.

Espera-se com este dossiê ter presentes textos que enfoquem o perfil dos jornalistas nestes países, a formação do jornalista, as condições de trabalho, a relação com o poder público, análises dos sistemas midiáticos, a interação com as novas mídias, bem como conceitos tangenciais e não menos importantes, como política, economia, sociedade, cidades, sempre em referência ao Jornalismo. Espera-se igualmente textos produzidos por membros de pesquisas relacionadas aos BRICS, mas também de pesquisadores locais e demais investigadores da área do jornalismo de países que não fazem parte do bloco.

O prazo para envio de artigos acabou até 30 de setembro de 2015, mas vale a pena acompanhar a produção desse material que será publicado em março de 2016.

{jcomments on}

0
0
0
s2smodern