Por toda a importância histórica, política, econômica e social, a saída da Grã-Bretanha da União Europeia tem suscitado também um intenso debate sobre a participação da mídia na campanha que deu vitória ao chamado Brexit.

Há muitas críticas sobre o nível e direcionamento de informações divulgadas pela imprensa britânica antes do plebiscito de 23 de junho. Na edição de sexta-feira (1/7) do caderno EU& Fim de Semana do jornal Valor Econômicos (pág. 7) o jornalista Matías Molina - um dos maiores especialistas em imprensa hoje - relatou que os jornais conservadores britânicos fizeram uma campanha “tóxica, de mentiras deslavadas e acusações sem base” que com certeza contribuíram para a vitória do Brexit.

Segundo o jornal The Guardian, o apresentador da BBC Justin Webb, um respeitado jornalista da equipe da Radio 4, afirmou que a mídia precisa rever sua cobertura política e a forma como tratou o voto pela saída da UK da União Europeia. “Essa discussão não pode ficar restrita às redações e aos espaços editoriais e departamentos de jornalismo das universidades: interessa a toda sociedade”, disse Webb.

https://www.theguardian.com/tv-and-radio/2016/jul/05/media-should-rethink-coverage-in-wake-of-brexit-vote-says-justin-webb?utm_source=esp&utm_medium=Email&utm_campaign=GU+Today+main+NEW+H+categories&utm_term=180331&subid=18050481&CMP=EMCNEWEML6619I2